Festas Académicas

Última noite de palco secundário une fãs de música alternativa

Matilde Mendes

‘Remixes’, ‘mashups’, ‘tecno’ e eletrónica são centro da madrugada. Público reclama da localização “escondida” do espaço. Por Guilherme Borges

Na madrugada do primeiro dia de junho, e última noite de Parque da Queima das Fitas 2024 (QF’24), o palco secundário foi aberto às 00h30, pelo DJ DEEPHUNTER, com um público reduzido. A partir das 2 horas, o espaço foi enchendo com a banda Overtones a realizar um ‘back to back’ com Luís Ferro. Frank Maurel também marcou presença às 03h30 e DJ Ride encerrou a noite às 05 horas, dando fim à festa dos estudantes de Coimbra.

Pela primeira vez a atuar em Coimbra, o DJ DEEPHUNTER foi elogiado por um amigo, Rodrigo Felix, que também está no mundo da música com o nome artístico DJ Fellow. O jovem, membro da audiência, argumentou que o palco secundário é “brutal”, já que “dá visão a coisas novas” com o “melhor dos estilos alternativos”.

Com a performance dupla de Overtones e Luís Ferro, assistiu-se a um aumento significativo dos espectadores. Além disso, no decorrer da madrugada, foi notória a preferência pelo palco secundário em detrimento do principal, pelo que essa opção alternativa se afirmou como popular.

Como prova da adesão nacional à QF’24, na plateia encontrava-se Vanessa Pereira, mestranda em Contabilidade e Finanças no Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Na Queima das Fitas de 2022, conheceu a música de Frank Maurel e começou-se a interessar pelo ‘tecno’. Assim, acredita que o artista merecia atuar no palco principal ao considerar o secundário “mais escondido”. 

Para encerrar a noite e, dessa forma, as noites de festa no Parque da QF’24, DJ Ride apresentou-se para os sobreviventes da madrugada com uma despedida frenética. Contrariando a adesão observada, não foi divulgada informação sobre o último alinhamento do palco secundário por parte da conta do Instagram da Comissão Organizadora da QF’24.

To Top