Cultura

XXXII FESTUNA regressa para animar Jardim da Sereia

Arquivo

Festival pretende celebrar 25 de Abril com temas alusivos à Revolução. Presidente da SF/AAC reforça que festival pretende ser “de estudantes para a cidade e não apenas de estudantes para estudantes”. Por Joana Almeida

Vai decorrer, nos próximos dias 3 e 4 de maio, o XXXII FESTUNA – Festival Internacional de Tunas de Coimbra, organizado pela Estudantina Universitária de Coimbra, grupo pertencente à Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC). O evento vai iniciar-se com a Noite de Serenatas, no dia 3, pelas 21h30 no Colégio da Trindade. Já no sábado vão ter lugar dois momentos: o Sarau Cultural, pelas 16h, e a Noite de Espetáculos, a começar às 21h30, ambos no Jardim da Sereia.

A programação do evento conta com diversos grupos e artistas convidados. Nesta edição, sobem ao palco a concurso a Tuna Universitária de Aveiro (TUA), a Tuna Académica de Lisboa (TAL), a Tuna de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa (anTUNiA) e a Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (Hinoportuna). O evento traz ainda dois convidados: na Noite de Serenatas atua o Grupo de Fado d’Anto e no dia 4 é a vez de João Mendes da Silva, antigo membro da Estudantina, mostrar o seu projeto a solo. Para o Sarau Cultural, Pedro “Galo” Andrade, membro do grupo anfitrião, destaca a presença da Banda Musical de Pinheiro de Ázere que, em conjunto com dois grupos corais, vai interpretar temas de Lopes da Graça, conforme refere.

Este ano, o festival é dedicado ao 25 de Abril. Como tal, os grupos convidados “foram desafiados a escolher e a apresentar um repertório alusivo à Revolução dos Cravos”, adianta Pedro Andrade. Segundo o jovem, a importância da data fez com que o FESTUNA se quisesse associar a estas comemorações, reforçando que “tudo o que se possa fazer para celebrar o 25 de Abril, é bem-vindo”.

Sobre a organização do evento, Pedro Andrade menciona que, sendo o FESTUNA o festival de tunas mais antigo de Coimbra, existe “sempre um sentido de responsabilidade de fazer mais e melhor do que na edição anterior”. Para Diogo Ferreira, presidente da SF/AAC, a organização pretende que este seja uma festa “de estudantes para a cidade e não apenas de estudantes para estudantes”. Quanto aos principais desafios ao planeamento do festival, Pedro Andrade destaca a capacidade de captação de financiamento. Contudo, reforça que “dado o legado que o FESTUNA já garantiu”, a organização tem conseguido apoios e parceiros, como é o caso da Câmara Municipal de Coimbra.

Para “Galo”, um dos principais objetivos desta edição é “superar as três mil pessoas que estiveram presentes no Jardim da Sereia, nos dois dias do ano passado”. Sublinha que a grande expectativa é que a meteorologia seja favorável à realização do evento e que este possa proporcionar a melhor experiência possível aos grupos e ao público. Por consequência das previsões meteorológicas, Diogo Ferreira avança que o Sarau Cultural pode vir a ser cancelado. Apesar disso, assegura, que a organização “vai fazer de tudo para assegurar a programação”.

To Top