Desporto

Último jogo da Académica acaba em novo desaire

Matilde Mendes

Briosa finaliza época abaixo das expectativas com fraca exibição. “Promessas em vão, é a vossa missão” lê tarja de descontentamento da Mancha Negra. Texto e fotografias por Matilde Mendes 

Este domingo, dia 19 de maio, a Associação Académica de Coimbra (AAC), disputou a última jornada da temporada de 2023/24 em casa, contra o Varzim Sport Club. A Briosa despediu-se com uma derrota por 3-2, após uma boa prestação da equipa da Póvoa de Varzim. Com este resultado as equipas mantiveram a sua posição na Liga 3, com a Académica em quinto lugar e o Varzim em sexto.

O pontapé inicial foi dado pela equipa da casa e os primeiros minutos do jogo foram bastante monótonos, sem grandes oportunidades de nenhuma das equipas. No entanto, ao minuto 6 foi assinalada grande penalidade após falta do guarda-redes do Varzim, Luís Balbo, sobre Juan Perea. O avançado colombiano rematou de penálti conferindo o primeiro golo do jogo aos Capas Negras. Os gritos de euforia dos adeptos fizeram-se ecoar por todo o estádio. 

A equipa adversária manteve o controlo do jogo durante os minutos seguintes, com Vasco Rocha a rematar muito perto do poste direito da baliza da AAC no minuto 35. O avançado do Varzim, Rui Areias conseguiu concretizar pouco depois, aos 39 minutos, com assistência de Gonçalo Pimenta. 

No minuto de compensação, cedido pelo árbitro, a equipa dos estudantes ganhou vantagem com o segundo golo da tarde, através de João Silva. Apesar dos Capas Negras seguirem com vantagem, o Varzim teve maior posse de bola desde o início, mas sem muitas oportunidades para fazer golo. 

Durante os 15 minutos de intervalo, a Académica recebeu com muito ânimo Ricardo Nunes, antigo guarda-redes da casa e do Varzim nos últimos anos. Foi-lhe presenteada uma camisola do clube com o seu número e nome por ter sido um dos grandes heróis da Académica na Taça de Portugal de 2012. 

A segunda metade do jogo revelou ser mais animada e disputada, com as duas equipas a dar tudo pela vitória. Ao minuto 49, David Teles cabeceia, com o intuito de cortar o ataque dos adversários, contudo atinge o poste da própria baliza, quase sofrendo um autogolo. Dois minutos depois, a Briosa avança para o ataque com um passe de Hugo Seco e cabeceamento de Vasco Gomes que não teve sucesso por grande defesa do recém-entrado guarda-redes, Longras.

Ao minuto 57 foi assinalada grande penalidade a favor do Varzim após David Teles, dos Capas Negras, ter cometido falta dentro da grande área. Desta forma, Rui Areias bisou na partida da marca dos 11 metros.  

A equipa dos poveiros, dominando o jogo, executou um cruzamento perigoso para a área da Académica ao minuto 67, onde houve muita confusão e falta de coordenação por parte da equipa conimbricense. Noutra tentativa de golo, poucos minutos depois, João Vieira rematou de trivela com a bola a passar a centímetros do poste direito. 

Ao minuto 76, surge uma oportunidade através de Rúben Ribeiro, que rematou de calcanhar, defendido lindamente por Bernardo Santos. Os lobos do mar continuaram a insistir até que Guga fintou Stitch e concretizou o terceiro golo da equipa de frente para a baliza. A Académica, apanhada em desvantagem, partiu para a ofensiva, atacando várias vezes, mas nunca colocando o adversário em perigo.

A equipa dos poveiros passou a jogar com menos 1 a partir do minuto 86, quando André Milhazes se lesionou. Esta lesão obrigou à saída do jogador e, tendo esgotado as substituições, a equipa viu-se obrigada a seguir em desvantagem. No minuto 90, Tiago Veiga efetuou um lance perigoso na tentativa de auxiliar João Vítor, contudo Gonçalo Pimenta corta em cima da linha de golo. A pressão por parte da equipa da casa fez-se sentir até ao final, porém não foi suficiente para virar o resultado.

O árbitro apitou para o final da partida e seguiu-se a conferência de imprensa. Quando questionado acerca da prestação em jogo de Obiora, jogador que era perspetivado como sendo um grande reforço para a equipa, Tiago Moutinho, treinador da AAC, referiu que o jogador “esteve bem”. Acrescentou ainda que “trabalhou muito bem nestas últimas semanas e mostrou grande empenho e profissionalismo”. Relativamente ao jogo, o treinador mencionou que a equipa não se apresentou compacta nem agressiva e que deveria ter feito mais.  

O apoio da Mancha Negra foi sentido ao longo de todo o jogo, porém também se fez sentir o descontentamento da claque. Durante vários momentos da partida pôde-se ler faixas erguidas pelos adeptos com as palavras “Promessas em vão, essa é a vossa missão” e “Quase um ano sem AG [Assembleia Geral], querem os sócios para quê?”. Agora resta esperar pela próxima temporada, a sonhar com a subida de divisão. 

To Top