Desporto

Pró-secção de Boccia da AAC passa a secção associativa

Arquivo

Período probatório do grupo chega ao fim após cinco anos. Membro do CD/AAC acredita que alteração pode trazer sustentabilidade e confiança. Por Liliana Martins

O Conselho Desportivo da Associação Académica de Coimbra (CD/AAC) deliberou a transição da Pró-secção de Boccia para secção associativa. A decisão foi aprovada pelo Conselho Fiscal da AAC em pleno de secções associativas e anunciada à comunidade estudantil no passado dia 29 de abril. Criada em 2019, a estrutura vê agora terminado o período probatório.

Segundo Miguel Franco, vogal do CD/AAC, o órgão intermédio acredita que a mais recente secção da Casa “representa uma grande bandeira para o desporto da Académica” e, nesse sentido, vê a transição como uma “missão que não podia ser abandonada”. Quanto ao período probatório, de quase cinco anos, o dirigente considera que a pandemia de Covid-19 e a “dificuldade inicial em reunir atletas e espaços de treino” são fatores que podem ter atrasado a finalização do processo.

No que diz respeito a parcerias, até agora a pró-secção contava com os apoios de entidades como a Reitoria da Universidade de Coimbra e a Câmara Municipal de Coimbra que, de acordo com Miguel Franco, foram decisivos para a tomada de decisão. “Quisemos garantir que os parceiros estavam alinhados para darmos o passo em frente”, esclarece. A par dos patrocínios, alcançado o estatuto de secção, o grupo vai poder usufruir também do financiamento do Conselho Desportivo.

Miguel Franco defende que o estabelecimento do coletivo enquanto secção da AAC pode “dar mais sustentabilidade e confiança aos atuais parceiros” e abrir portas para eventuais novos apoios. Ao mesmo tempo, prevê que a alteração possa fazer com que haja “mais pessoas interessadas” em integrar a equipa. “Ao tornar-se secção passam a existir períodos eleitorais, ao abrigo dos Estatutos da AAC, e essa democracia permite que mais massa crítica se junte”, expressa.

To Top