Festas Académicas

Luz, energia e leveza na QF’24

Bárbara Monteiro

Penúltima noite de palco secundário junta DJ’s e ‘Rappers’ de todo o país. Animação sentiu-se noite dentro com vozes e gestos a fazer vibrar Parque da Canção. Por Ana Filipa Paz e Bárbara Monteiro

O palco secundário da Queima das Fitas 2024 (QF’24) encheu-se mais uma noite, desta vez para assistir à DJ Shannon Booth, uma artista em ascensão que começou a sua carreira em Coimbra. A atuação teve início às 00h15 e, quando chegou às 1h30, foi a vez do artista de hip-hop DOMI subir ao palco. Os concertos duraram até às 4 horas da manhã, com Joint One X Yung Juse e VSP AST a fechar a noite. 

A atuação de Dj Shannon Booth, apesar do público reduzido, contou com muita animação. A artista voltou a Coimbra para pôr o público a mexer e a cantar, com músicas carregadas de energia, conhecidas por todos os presentes. Um grupo de amigas que se encontrava a dançar na fila da frente contou ao Jornal A CABRA que não conhecia nenhum artista do alinhamento do palco secundário. No entanto, Celine Alves, estudante de 20 anos, confessa estar-se “a divertir muito neste concerto”. 

Seguiu-se o rapper algarvio DOMI, considerado pela imprensa nacional como um “jovem promessa”, que não deixou cair a energia entre a multidão. Com as luzes a invadir os espaços em branco, o rapper terminou a atuação com um dos temas mais conhecidos, “Pensamento Leve”. 

Leveza e boa energia permaneceram no palco, cada vez mais preenchido, onde se juntou a dupla Joint One X Yung Juse. Desafiando-se um ao outro, os dois artistas trouxeram dança e alegria à parte do fundo do recinto. Como não podia faltar, a música “Tou na Festa”, que conta com mais de seis milhões de visualizações no Youtube, fez furor entre o público.

Para encerrar outra noite infindável e introduzir a madrugada aos estudantes mais boémios do país, o conterrâneo VSP AST encheu a sua “casa” de batidas repetidas e letras que se espelhavam em todos os rostos presentes. Rafael Silva, de 23 anos, é um admirador do artista conimbricense e explica que a sua música “tem influência no punk e grunge”. O público vibrou do início até ao fim, com gritos e saltos de entusiasmo. 

To Top