Ensino Superior

Novo ano de eleições para o CF/AAC e a CD/AAC,  mesma abstenção

Bruna Fontaine

Lista T – Uma Académica para Todos conquista presidência do CF/AAC. Eleições atribuem liderança da CD/AAC para Lista C – Cuidar da Casa – Consolidar o Disciplinar. Por Bruna Fontaine e Bárbara Monteiro

As eleições para o primeiro e segundo contingente do Conselho Fiscal e da Comissão Disciplinar da Associação Académica de Coimbra (CF/AAC e CD/AAC) realizaram-se no dia 11 de abril, das 10 horas até às 19 horas. Os votos contados nas urnas espalhadas pelos espaços da academia colocaram a  Lista T – Uma Académica para Todos na presidência do CF/AAC. A liderança da CD/AAC ficou com a Lista C – Cuidar da Casa – Consolidar o Disciplinar. Para ambos os órgãos e respetivos contigentes, a taxa de abstenção permaneceu acima dos 90%, à semelhança das percentagens do ano anterior.

Num contexto de suspeitas de incumprimento estatutário, as únicas listas candidatas ao segundo contingente, a Lista A – Disciplina em Andamento à CF/AAC e a Lista D – Andamento com a Disciplina à CD/AAC, ganharam com uma taxa de abstenção de 97,23%.

Ao serem questionados no Bar da AAC, três estudantes da licenciatura em Design e Multimédia (DM), no Departamento de Engenharia Informática (DEI) da Universidade de Coimbra (UC) admitiram não terem votado, nem possuir conhecimento sobre as eleições e os órgãos em questão. Duas alunas da Faculdade de Letras da UC (FLUC), nas licenciaturas de Português e Turismo, admitiram ter exercido o voto. A estudante de Português sublinhou que “o resultado foi expectável pelas propostas apresentadas” e considerou a coordenação das eleições desorganizada.

Os cinco estudantes acreditam que a elevada taxa de abstenção é consequência de uma “pobre” rede de divulgação de informação. Enquanto os alunos do DEI se mostraram surpreendidos pela falta de adesão às urnas e apelaram por mais explicações sobre o contexto eleitoral, as alunas da FLUC afirmaram ter previsto estes números.

No primeiro contingente, o primeiro efetivo da Lista I – Integridade e Democracia, candidato ao CF/AAC, Diogo Curto, contou com 156 votos (9,81%) em comparação com a Lista T – Uma Académica para Todos, que conquistou 1435 votos (90,19%). Já Miguel Francisco, cabeça de lista da Lista A – Ação e Competência, candidato à CD/AAC, garantiu 25,28% dos votos (367) face aos 74,72% (1085) dos votos da Lista C – Cuidar da Casa – Consolidar o Disciplinar.

A diferença de votos entre as listas concorrentes para o CF/AAC foi menor que no ano passado, em que a Lista T – Académica Transparente contou com 9,02% dos votos (153) para os 90,98% (1544) da Lista G – Garantir o Futuro da Académica. Contudo, no que diz respeito às eleições para a CD/AAC, os resultados foram mais próximos em 2023, com 496 votos da Lista R – Reforçar e Disciplinar (35,30%) e 909 votos (64,70%) da Lista A – Disciplina com AACão.

A tomada de posse ocorre na próxima terça-feira, em local a decidir. Os mandatos, com duração de um ano, tiveram os votos do primeiro contingente destinado aos associados efetivos da AAC,  e o segundo ficou nas mãos dos associados seccionistas.

To Top