Ensino Superior

Lista A – Disciplina em Andamento candidata-se ao Conselho Fiscal da AAC

Leonor Viegas

Gonçalo Vaz não pretende que novos Estatutos da AAC dificultem trabalho das secções. Cabeça de lista comenta semelhanças entre candidaturas da Lista A ao CF/AAC e da Lista D à CD/AAC. Por Bárbara Monteiro e Leonor Viegas

A Lista A candidata-se ao Conselho Fiscal da Associação Académica de Coimbra (CF/AAC) sob o mote “Disciplina em Andamento”. O projeto, encabeçado por Gonçalo Vaz, concorre ao segundo contingente do órgão e concentra-se no cumprimento dos novos Estatutos da AAC e no auxílio às diferentes secções da Casa. Segundo o estudante da Faculdade de Direito, a transparência, a conexão e o diálogo, a imparcialidade e a disciplina são os pilares da campanha para as eleições a decorrer no dia 11 de abril. 

O candidato foca a necessidade de “fazer cumprir com rigor os estatutos e defender os interesses das secções” por parte do CF/AAC. Gonçalo Vaz pretende reunir com os conselhos intermédios e com as secções culturais e desportivas de forma a “estimular a comunicação de forma direta com os dirigentes associativos e indireta com os restantes associados”. 

O estudante admite que estar integrado no Grupo Ecológico da AAC pode constituir uma vantagem, pois “permite conhecer o dia-a-dia e compreender as adversidades dos restantes órgãos”. Acrescenta que são as atividades desenvolvidas pelas secções que dão prestígio à academia coimbrã e que os novos Estatutos “não devem prejudicar a continuidade e excelência do seu trabalho”. 

Segundo os Estatutos da AAC, as candidaturas ao CF/AAC não podem estar relacionadas com as listas concorrentes à Comissão Disciplinar da AAC (CD/AAC), seja em função da publicidade ou de qualquer outro meio de campanha. Contudo, o mote da Lista A assemelha-se ao da Lista D, candidata ao segundo contingente da CD/AAC, com o slogan “Andamento com a Disciplina”. Ao ser questionado sobre a semelhança dos lemas das duas listas, que diferem apenas na inversão das palavras, Gonçalo Vaz esclarece que só obteve conhecimento da situação após as candidaturas se terem tornado públicas. “A inversão dos slogans foi uma coincidência muito engraçada”, comenta. 

Outra incompatibilidade encontrada na campanha foi a presença de Vítor Sanfins como mandatário nas duas listas. O candidato pela Lista A justifica esta escolha por considerar que “é uma pessoa que conhece bem a Casa e o procedimento para a entrega de uma candidatura”. 

O cabeça de lista revela preocupação com a elevada taxa de abstenção registada nas últimas eleições para o CF/AAC. Para contrariar esta tendência, compromete-se a “contactar com os serviços intermédios e com as secções para compreender os fatores que os levam a não votar”. 

To Top