Ensino Superior

FLUC unida na reflexão sobre questões ambientais

Inês Reis

Evento conta com participação de todos os departamentos e secções da FLUC. Organizador realça que é “necessária a convergência entre áreas do saber”. Por Inês Reis

O Instituto de Estudos Filosóficos (IEF) está a organizar a “Semana do Ambiente”, que decorre entre os dias 15 e 19 de abril na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). A iniciativa tem como mote “Reflexões das humanidades sobre a casa comum” e consiste em estimular a reflexão conjunta por parte das várias disciplinas das humanidades sobre as questões ambientais. Durante este período vão ser dinamizadas várias atividades, tais como palestras, workshops e mesas redondas.

O principal objetivo, de acordo com Joaquim Braga, secretário do IEF, é “criar uma cultura no ensino que consiga responder aos novos desafios ambientais”. Segundo o organizador, a iniciativa é pioneira e pretende ser “um espaço de reflexão com repercussão no tempo”. O evento tem o intuito de sensibilizar os estudantes para as questões ligadas ao ambiente, acrescenta.

Todos os departamentos e secções da FLUC se encarregaram de organizar atividades sobre a temática, sob diferentes pontos de vista. Deste modo, o organizador sublinha que as questões ambientais “não podem ser transmitidas apenas segundo um ângulo específico” e que é “necessária a convergência entre áreas do saber”. Assim, as conversas abordam temas que vão desde “Consequências de eventos climáticos extremos na saúde humana” até “Educar para a sustentabilidade e para a cidadania global: que implicações para a formação de professores?”.

Joaquim Braga considera que os desafios climáticos são de “extrema relevância” e, por isso, reforça que “exigem um esforço coletivo”. Neste sentido, o secretário do IEF frisa a importância de as atividades se estenderem ao longo da semana, “que não é o tempo dos eventos normais”. Existem palestras “esporádicas” sobre o tema, mas “nunca se fez uma iniciativa desta dimensão, na qual a sensibilização tem tempo para acontecer”, realça.

A sessão de abertura iniciou com um breve discurso de Mário Santiago de Carvalho, professor catedrático da FLUC, que destacou a diversidade do programa e a urgência do tema. De seguida, o diretor da FLUC, Albano Figueiredo, tomou a palavra em representação da instituição que acolhe a “Semana do Ambiente” para revelar que não hesitou em aceitar a ideia do IEF. A primeira palestra intitulada “Poderá a Época do Antropoceno constituir uma Nova Idade Axial (Achsenzeit)? Que Desafios Epistemológicos e Filosóficos?” decorreu logo após a inauguração e teve como orador José Viriato Soromenho Marques, filósofo e professor universitário.

To Top