Cultura

Estudantina apresenta novo álbum “Mais Além” depois de 15 anos

Concerto de apresentação com 82% da lotação no Conservatório de Música de Coimbra. Disco apresenta “sofisticação musical superior às composições anteriormente adotadas pelo grupo”, salienta membro da Estudantina. Por Luísa Malva

Pela primeira vez em 15 anos, a Estudantina Universitária de Coimbra vai lançar um novo disco. A obra intitulada “Mais Além” começou a ser gravada há seis anos e vai ser finalmente apresentada num concerto realizado no Conservatório de Música de Coimbra neste sábado, dia 20 de abril.

Diogo Ferreira, presidente da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra e membro da Estudantina, explica que a obra representa o percurso do grupo nos últimos 15 anos. Porém, afirma que o disco busca inovar através da presença de temas “com sofisticação musical superior às composições anteriormente adotadas pelo grupo”.  Acrescenta que o nome do novo álbum reflete as fundações da Estudantina.

Desde o início, explica que o grupo procurou incorporar temas além-fronteiras, através da inspiração de tunas espanholas, mas também com a combinação de características que definem os estudantes de Coimbra. A partir de então, o conjunto atuou não só em diversos locais de Portugal, mas também a nível mundial, com performances na Colômbia e no Canadá, destaca.

O espetáculo de apresentação do disco “Mais Além” procura uma “atmosfera intimista”, expressa Diogo Ferreira. Explica que o grupo procura fornecer um concerto para os ouvintes que têm seguido a Estudantina ao longo dos últimos anos. Segundo o presidente da Secção de Fado, o Conservatório de Música de Coimbra apresenta “excelentes condições acústicas”. Acrescenta que a sala já tem 82% da lotação completa.

No concerto de dia 20, os espectadores podem esperar a atuação de alguns dos temas presentes no novo disco. Contudo, a fim de “a incentivar o público a ouvir a obra por inteiro”, não vão ser tocadas todas as músicas, retifica Diogo Ferreira. Clarifica ainda que, além da performance de novos temas, vão também trazer obras discográficas antigas, “mas que permanecem atuais nos dias de hoje e que são um grande traço do grupo”, remata.

To Top