Desporto

Coimbra recebe Campeonato Nacional de Natação de Juvenis, Juniores e Absolutos

Afonso de Vasconcelos

Critérios de acesso restritos pela elevada afluência de atletas. Diretor Desportivo da Federação Portuguesa de Natação reforça necessidade de “maior investimento”. Por Afonso de Vasconcelos

O centro olímpico de piscinas municipais de Coimbra recebe entre os dias 4 e 7 de abril o Campeonato Nacional de Natação de Juvenis, Juniores e Absolutos. A competição, organizada pela Federação Portuguesa de Natação (FPN), conta com a participação de mais de 800 nadadores profissionais e traz à cidade dos estudantes uma modalidade que tem vindo a “ganhar popularidade nos últimos anos” pelo sucesso do atleta Diogo Ribeiro, segundo José Machado, Diretor desportivo da FPN.

O dirigente admite a importância de um evento de escala nacional como este para a cidade, mas confessa que não existem muitas mais instalações em Portugal capazes de receber um campeonato desta dimensão. “Apenas Coimbra, Lisboa e Funchal têm as condições para receber uma competição desta magnitude”, reitera. Realça também que estão no limite do número de atletas, e que têm restringido os critérios de acesso à prova para que o evento não seja afetado pelo excesso de nadadores.

O diretor assume a grande responsabilidade da FPN em responder às necessidades destes atletas, mas reforça uma necessidade de “maior investimento” por se tratar de uma modalidade que exige condições específicas. José Machado garante ainda que “uma piscina é uma instalação que tem um custo de manutenção muito elevado” e que têm dificuldades em “arranjar espaços com condições para os nadadores”.

No entanto, assegura que a federação tenta sempre “criar respostas mediante as dificuldades que lhes são colocadas” através dos Centros de Alto Rendimento. Nesses espaços são reunidas “as circunstâncias ideais para um número restrito de atletas que mostram mais capacidade”, assevera. Acrescenta ainda que a FPN oferece alojamento, uma pensão completa, e também uma equipa que integra fisioterapeutas, preparadores físicos e biomecânicos.

Os melhores resultados até à data foram obtidos pelos atletas mais jovens, segundo o dirigente, mas “havia objetivos relativos à obtenção de mínimos para as principais competições que não foram alcançados”. Ainda assim, são de destacar os recordes alcançados por atletas como Alexandre Amorim do Vitória Sport Club nos 50 metros bruços, ou do Sporting, com recorde absoluto 4×100 estilos misto. Miguel Oliveira e Mikhael Onutskyy também saíram com recordes nos 50 metros costas.

É de recordar que o Open de Coimbra é a última oportunidade de qualificação para o Campeonato da Europa, que é de “extrema importância” para os objetivos da federação, explica. Apesar de existirem outras oportunidades de qualificação para os Jogos Olímpicos, a importância de resultados neste torneio “é crucial para a prova europeia”, conclui José Machado.

To Top