Ensino Superior

AAC integra estudo sobre empregabilidade de estudantes da UC

Iris Jesus

Projeto visa seguir alunos de primeiro e último ano ao longo de cinco anos. Bilhetes para Queima das Fitas vão ser sorteados aos participantes. Por Catarina Duarte e Iris Jesus

No passado dia 18 de abril, a Associação Académica de Coimbra (AAC) divulgou a sua integração numa pesquisa da Universidade de Coimbra (UC) em conjunto com o Centre for Business and Economics Research (CeBER) da UC. Intitulado de “Empregabilidade e Sucesso de Carreira dos/as Estudantes da UC”, o estudo vai partir de um inquérito dirigido a alunos do primeiro e do último ano de licenciatura ou mestrado integrado. Com efeito, a investigação visa “perceber as perspetivas e dificuldades de emprego” da comunidade estudantil, conta a vice-presidente alocada à empregabilidade e empreendedorismo da Direção-Geral da AAC (DG/AAC), Sofia Duarte.

O inquérito vai ser um meio para encontrar respostas às adversidades da empregabilidade, a longo prazo, e deve ser preenchido anualmente, pois prevê acompanhar os estudantes ao longo de cinco anos. De acordo com Sofia Duarte, este é um projeto “pioneiro”, que objetiva “seguir os alunos durante o seu percurso universitário e durante a entrada no mercado de trabalho”. Já a AAC foi contactada há cerca de um mês por Teresa Oliveira, membro da CeBER, devido à sua “proximidade com os núcleos de estudantes, que conhecem a realidade específica de cada curso e faculdade”, explica a vice-presidente.

De modo a tornar a participação no questionário mais atrativa, a DG/AAC vai promover o sorteio de dois bilhetes para a Queima das Fitas àqueles que responderem. Tal medida visa, segundo Sofia Duarte, “unir o espírito académico à iniciativa da UC”, e calcula-se que a duração da resposta às questões varie entre os dez e os 15 minutos. Quanto à apresentação dos resultados do estudo, a vice-presidente da DG/AAC assevera que tal só poderá ser feito daqui a não menos que cinco anos.

A DG/AAC, UC e CeBER estão, de momento, a trabalhar para adquirir “conclusões fidedignas sobre a capacidade da UC para formar bons profissionais” e identificar os desafios que os jovens enfrentam após o Ensino Superior. Apesar de o estudo se inserir numa investigação internacional, Sofia Duarte afirma que a DG/AAC participa apenas no âmbito local do projeto. Em nota final, a vice-presidente deixa um apelo à comunidade estudantil para aderir ao questionário, cuja resposta “pode afetar as próximas gerações de estudantes da UC”.

To Top