Desporto

Derrota “pesada” isola Briosa no fim da tabela

Fábio Torres

SC Braga B garante vitória com três golos, sem ameaça dos Capas Negras. Jogo marcado por elevado número de faltas e assistências médicas. Por Inês Reis

Na tarde do dia 3 de março, a Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) recebeu em casa a equipa B do Sporting Clube de Braga (SC Braga). Na fase de subida, a Briosa não conseguiu alcançar a vitória e, no fim do jogo, o placard marcava 0-3 para os visitantes. Sob um céu nublado, encontravam-se cerca de 3800 adeptos distribuídos pelo Estádio Cidade de Coimbra.

O apito inicial deu-se às 17h31 e, apenas cinco minutos depois, foi marcada uma grande penalidade sobre João Victor. No entanto, o avançado não conseguiu concretizar o golo, graças à defesa do guarda-redes do Braga, Bernardo Fontes. Apesar de a primeira tentativa minhota de marcar golo não ter sido bem-sucedida, não tardou até que Yan Said aproveitasse um pontapé de canto para inaugurar o marcador aos 17minutos.

Após um penálti falhado e um golo do adversário, os Capas Negras ficaram fragilizados. Ainda assim, mostraram empenho para chegar à grande área do Braga, contudo os jogadores da equipa minhota conseguiram impedir os ataques com alguma facilidade. O médio Lucas Henrique ainda tentou o golo fora da grande área aos 25minutos, mas o remate foi acima da trave.

Já perto do intervalo, aos 45minutos, Yan Said goleou de novo, após a sua equipa ter atravessado o campo sem grande resistência dos estudantes. A primeira parte foi também marcada pelos assobios dos adeptos conimbricenses a Bernardo Fontes, como forma de protesto ao tempo que o adversário demorava nas reposições de bola.

Durante o intervalo, homenagearam-se, com uma ovação de pé, Artur Jorge, técnico da AAC/OAF na época 2002/2003 e Rui Rodrigues, antigo jogador da Briosa. Ambos faleceram no passado mês de fevereiro.

Às 18h37, pouco depois do sol se pôr, os jogadores regressaram ao relvado do “Calhabé”. A segunda parte tinha começado há quatro minutos quando um cruzamento seguido de uma recarga dos arsenalistas assustou Carlos Alves, que, ainda assim, conseguiu afastar a bola das redes.

A defesa do SC Braga ficou cerrada, o que dificultou à equipa da casa a quebra das linhas e permitiu aos visitantes aproveitar a posse de bola para fazer várias investidas, algumas com perigo. Ao longo de todo o jogo, registaram-se várias faltas sobre ambos os grupos, algumas das quais exigiram assistência médica, como foi o caso de Francisco Ferreira, defesa da Académica.

No plantel minhoto, Custódio Castro optou por fazer cinco substituições, sendo a primeira a de Mathys Jean-Marie por João Vasconcelos, aos 63 minutos. A AAC/OAF tentou atacar mais vezes, através de cruzamentos de fora para dentro, mas as investidas não foram bem-sucedidas, devido às interseções dos adversários. Aos 73 minutos, o árbitro marcou uma grande penalidade para a equipa hospedeira, mas a decisão foi revertida após consulta do árbitro assistente de vídeo.

Devido ao tempo de jogo parado, o árbitro decidiu que eram necessários sete minutos de compensação. Logo no primeiro, num lance em que o avançado João Vasconcelos se desmarcou e fintou a defesa da Académica, foi marcado o terceiro golo, que encerrou o placard da partida.

O técnico do SC Braga considerou que “eficácia e equilíbrio” possibilitaram a vitória e reforçou que a sua equipa demonstrou “maturidade” em campo. Já o treinador da Briosa, Tiago Moutinho, assumiu a total responsabilidade pela derrota “pesada” e garantiu que ele e a sua equipa comprometem-se a dar mais. O técnico acredita que o primeiro penálti falhado “trouxe intranquilidade à equipa”, mas encarou o futuro como “uma boa altura para refletir sobre o que melhorar”. Por último, sublinhou que “tudo serve como aprendizagem” e que é importante “aprender com os erros para evoluir”.

Com este resultado, o SC Braga fica com sete pontos, sendo o segundo classificado da fase de subida da Liga 3. Já a Académica, com dois pontos conquistados em quatro jornadas, encontra-se na última posição da Fase de Apuramento de Campeão da Liga 3, a cinco pontos dos lugares que lhe permitiriam a subida. No seu próximo jogo, a 10 de março, a Briosa vai até Lisboa para enfrentar o Atlético Clube de Portugal.

To Top