Desporto

Académica empata em casa no confronto com Alverca

Equipa visitante adotou estratégia defensiva que garantiu a segunda posição na Liga 3. Treinador da Académica OAF valoriza esforço da equipa, porém demonstra-se “desiludido” com resultado. Por Luísa Malva e Bárbara Monteiro

A Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) enfrentou em casa, na tarde do dia 16 de março, o Futebol Clube de Alverca (FC Alverca). O confronto da Liga 3, que começou às 15 horas, acabou empatado. Mesmo com uma posse de bola superior e uma bola na baliza, que foi considerada fora de jogo, os Capas Negras não saíram vitoriosos. Com o resultado deste encontro, o Alverca assegurou o segundo lugar na Liga 3 enquanto a Académica permanece na quinta posição.

Os primeiros minutos da partida foram marcados por um inicial ataque pelo Alverca, mas que rapidamente a equipa da casa interpelou. Com a bola por parte da Briosa, o avançado Juan Perea atacou a baliza adversária, mas o guarda-redes defendeu. Aos 5 minutos, Lucas Henriques realizou o primeiro remate, porém a bola passou por cima da baliza. Durante a primeira parte, o jogador Pierre Sagna, número 95, destacou-se devido às tentativas de avanço por parte do Alverca FC. A equipa da casa não desistiu e Diogo Costa, número 75, tentou avançar para a baliza adversária, mas a defesa do Alverca persistiu.

A um terço da primeira parte do jogo começou a ser clara a dominância por parte da Briosa no que toca à posse de bola. Houve uma tentativa de golo por parte de Ricardo Dias da equipa visitante, mas esta passou por cima da baliza. Ao minuto 20, João Silva passou a bola para Juan Perea e este tentou rematar, mas sem chance, visto que foi contida por João Bravim.

Já no final do minuto 21, Pierre Sagna foi o responsável pela queda de João Silva, o que constituiu uma falta para o FC Alverca. Logo a seguir, Juan Perea tentou novamente rematar após o passe de Vitinha, mas o guarda-redes não deixou passar. Outra falta ocorreu aos 24´, novamente por Pierre Sagna a João Silva. Este último tentou cabecear à baliza dois minutos depois, mas João Bravim defendeu. Este período terminou com um maior ataque por parte do FC Alverca, sobretudo com várias tentativas de Miguel Pires de aproximação à baliza do adversário.

No minuto 37 da primeira parte realizou-se um canto por parte do FC Alverca e Alysson Oliveira atacou, mas a Académica defendeu. João Silva, jogador da Briosa, retaliou, porém em vão, devido ao corte da trajetória da bola. Nos últimos 15 minutos da primeira parte, houve uma melhoria na posse de bola por parte da equipa visitante, embora a Briosa tenha continuado a dominar o ataque.

Aos 41 minutos de jogo, Diogo Martins procurou avançar e tomar uma posição, porém não sucedeu, já que a bola acabou fora do campo.  No fim da primeira parte, Diogo Costa da Briosa rematou para a baliza adversária depois de um avanço realizado por Vitinha, porém João Bravim defendeu mais uma vez. Durante os dois minutos adicionais, a bola encontrou-se dividida entre ambas as equipas, não havendo nenhum avanço em termos de posições ofensivas. A primeira parte acabou com um empate das equipas.

A segunda metade do jogo começou por volta das 16h07 com um ataque da Briosa, mas a bola rapidamente acabou fora do campo. No minuto 52, a Académica conseguiu avançar no terreno, e Vitinha rematou na tentativa de marcar golo, com a bola a passar por cima da baliza.

No minuto 59, o Estádio Cidade de Coimbra vibrou com a entrada da bola na baliza do Alverca. Juan Perea, número 9 da Académica, passou a bola a João Silva que rematou com sucesso na baliza defendida por João Bravim. Porém, quase de imediato, foi apontada a invalidade do golo já que o avançado encontrava-se fora de jogo. A Briosa não desistiu e continuou ao ataque. Porém, a defesa do FC Alverca apresentou-se forte e rapidamente dominaram a trajetória da bola.

Aos 62´ foi atribuída uma falta a João Bravim, guarda-redes do FC Alverca, devido à demora de iniciativa no remate por parte dele. Quatro minutos depois, as Capas Negras avançaram e Juan Perea rematou, mas a bola passou por cima da baliza adversária.  Durante este período do jogo houve diversas caídas de jogadores do Alverca que, muitas das vezes, não resultaram em falta, porém prolongaram as pausas na partida.

Nos últimos 15 minutos de jogo, o Alverca reforçou a estratégia defensiva e carregou na quebra de tempo da partida com a constante interrupção do jogo. A posse de bola continuou superior por parte da Briosa, que apostou em ataques para a baliza adversária. No minuto 86, Venaque tentou quebrar a defesa do FC Alverca ao realizar um passe que podia resultar num golo, mas mais uma vez a defesa rival permaneceu forte.

A constante queda de jogadores da equipa adversária resultou em sete minutos adicionais de prolongamento na segunda parte. Nos minutos finais, as Capas Negras tentaram, insistentemente, dominar a área adversária. Miguel Pires, número 16 da equipa de casa, tentou efetuar o lance, mas, mais uma vez, o guarda-redes defendeu. O jogo em casa acabou, tal como na primeira parte, com o empate entre a Académica OAF e o FC Alverca.

Segundo o treinador da Académica OAF, Tiago Moutinho, o clube adversário optou por um jogo defensivo. O líder da equipa rival, João Pereira, realçou o desempenho do guarda-redes, João Bravim. O representante do Alverca admitiu que a Briosa teve uma ‘performance’ superior. Contudo, acrescentou que a “coesão e unidade da equipa assegurou o resultado final”.

O treinador da Académica OAF, Tiago Moutinho, em conferência de imprensa, demonstrou-se satisfeito com o desempenho da Briosa e a persistência até ao apito final. Porém, afirma-se “desiludido” com o resultado “que não queria de forma alguma”, admitiu. O treinador aponta a estratégia incorporada pela equipa rival. Explica que, principalmente na segunda parte, o FC Alverca adotou uma tática de quebra do ritmo do jogo. Embora Tiago Moutinho caracterize a estratégia como “válida”, aponta que um dos jogadores das Capas Negras observou que “não conseguiu jogar mais de dois minutos seguidos”, devido às constantes interrupções.

Tiago Moutinho sublinhou o facto de “faltarem ainda muitos jogos para o fim da Liga”. Embora “insatisfeito” e crente que a sua equipa merecia a vitória, apontou que a equipa vai trabalhar para que o resultado dos próximos jogos seja o desejado. Sublinha, ainda, a força da claque que ajudou na persistência dos jogadores.

Com este resultado, a Académica ficou provisóriamente, em quinto lugar, com seis pontos. O próximo jogo da Briosa vai ser contra o Varzim Sport Club, no dia 30 de março, no estádio da equipa adversária.

To Top