Cidade

Partidos de esquerda em cooperação para celebrações do 25 de Abril

Francisca Costa

Representantes políticos juntam-se para realização de almoço de confraternização durante celebrações do dia da liberdade. Coordenador da Direção do CpC enfatizou que evento não pretende “colocar em causa a multiplicidade de iniciativas que a cidade vai ter”. Por Francisca Costa

O Monumento 25 de Abril acolheu uma conferência de imprensa, às 11h30, entre quatro associações partidárias que se associaram pela perceção comum “de uma falta de democraticidade na condução dos destinos da nossa cidade”, segundo o coordenador da Direção do movimento Cidadãos por Coimbra (CpC), Jorge Gouveia Monteiro. Com o objetivo de promover uma confraternização, no dia 25 de Abril, em Coimbra, os partidos criaram um evento intitulado “Muita Força Abril”, que passa por um almoço volante, no Jardim da Sereia, pelas 12h30.

Este evento pretende mobilizar pessoas para o desfile a decorrer às 15 horas do respetivo dia. O preço do almoço não está definido, no entanto, Jorge Gouveia Monteiro garante que vai ser “inclusivo, para não afastar ninguém”. O coordenador da Direção do CpC advoga ainda que a escolha do local “não foi por acaso” ser adjacente à Praça da República, uma vez que esta significa “a concretização dos princípios e valores da república: liberdade, igualdade e justiça social”.

A conferência de imprensa contou com a presença de Graça Simões e Jorge Gouveia Monteiro, pelo movimento CpC, Pedro Cravinho Serra, pelo partido Livre, Ana Carolina Gomes, pelo Bloco de Esquerda, Luís Marinho, como representante do Partido Socialista e João Fontes da Costa e Emanuel Candeias em representação do partido Pessoas-Animais-Natureza. Jorge Gouveia Monteiro, quando questionado sobre a não-inclusão do Partido Comunista Português, afirmou que, apesar de este não justificar a sua vontade de não se associar ao movimento, “foi convidado desde o princípio e ainda está a tempo, se assim o entender”. Caso opte por não participar, o diretor assegura que o evento se mantém.

Em relação à escolha do espaço para a realização da conferência, Jorge Gouveia Monteiro referiu que o jardim que envolve o Monumento 25 de Abril é, por oposição ao edifício vizinho, a antiga sede da Polícia Internacional e de Defesa do Estado, um espaço de “felicidade”, por isso está “rodeado de simbolismo de diferentes razões”. Defende ainda que “a felicidade não é um termo político, mas é uma finalidade na vida das pessoas”.

O coordenador do CpC reforçou que não se pretende “colocar em causa a multiplicidade de iniciativas que a cidade vai ter”, e que é necessário “transportar aquilo que foram as iniciativas do 25 de Abril” num país “atrasado, pobre e asfixiado”. Concluiu fortalecendo a importância da lembrança de um Portugal antes de Abril, para que não se repitam discursos de valorização de ditaduras.

To Top