Ensino Superior

DG/AAC restringe acesso noturno aos pisos superiores do edifício-sede

Daniela Fazendeiro

Regras limitam circulação entre as 00h e as 6h. Passagem a associados autorizada mediante comunicação via ‘Google Forms’. Por Iris Jesus

A comunidade estudantil foi confrontada com um aviso da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC) esta terça-feira, dia 6 de fevereiro. Segundo consta nas quatro medidas do papel afixado sob as escadas do piso zero do edifício-sede, vão ser aplicadas restrições no acesso aos pisos 1, 2, 3 e 4, entre as 00h e as 6h, em todos os dias da semana. De acordo com o administrador da DG/AAC, Carlos Magalhães, estas regras têm como objetivo “o controlo do fluxo de pessoas que sobem as escadas e perturbam o trabalho das várias estruturas”.

No que diz respeito ao acesso ao edifício por membros das estruturas da Casa, expressa-se que “apenas dirigentes” estão autorizados a fazê-lo. Apesar disto, Carlos Magalhães clarifica que “qualquer pessoa associada a uma estrutura deve poder entrar, mediante comunicação prévia”. Esta, deve ser emitida por via de um ‘Google Forms’, que vai ser disponibilizado aos diversos órgãos, onde deve constar os nomes dos seus associados. A informação está prevista ser atualizada semanalmente, e vai estar acessível aos seguranças do edifício-sede.

Nas terças e quintas-feiras, os dias com mais afluência de pessoas à AAC, a porta da sala de estudo vai estar aberta para entrada de seccionistas e associados entre as 00h e as 04h30m. Além disto, pretende-se que esta sala continue disponível 24h para os estudantes que desejem frequentá-la. Mesmo assim, acrescentam-se restrições no acesso ao espaço. Segundo conta Carlos Magalhães, os seguranças estão autorizados a proibir a subida dos estudantes que “estejam embriagados ou a causar desacatos”.

O aviso emitido veda o acesso aos pisos superiores a indivíduos que carreguem consigo qualquer tipo de bebida ou copo, exceto água engarrafada. Contudo, o representante explica que esta é uma medida que “evoca ao bom senso”. O mesmo considera que os órgãos da AAC devem “primar pela limpeza do espaço, priorizando os seus deveres acima das suas vontades”. Apesar de constar que o acesso aos andares 1, 2, 3 e 4 do edifício pode ser vedado pelos seguranças se considerarem necessário, o administrador garante que esta medida se aplica em casos “excecionais” e que “não vão ser realizadas revistas”.

Carlos Magalhães apela à atenção das estruturas para a atualização do ‘Google Forms’, que deve entrar em vigor após a apresentação das medidas em Assembleia de Secções Culturais e discussão com os Organismos Autónomos. Acrescenta que o aviso emitido não pretende alterar as normas já estabelecidas, sendo que são admitidos “imprevistos que possam acontecer”. Em recado final, esclarece que estas regras visam apenas “criar um mecanismo de colaboração entre todos os órgãos”.

To Top