Cultura

AAC de mãos dadas com a UC pela valorização de Abril

Ana Filipa Paz

Criação de um plano financeiro de apoio a secções culturais como um dos resultados da parceria. Exposições, assembleias, visitas e projetos documentais são algumas das atividades que preenchem o programa da academia de Coimbra. Por Ana Filipa Paz

Na passada segunda-feira, a Universidade de Coimbra (UC) e a Associação Académica de Coimbra (AAC) apresentaram a programação conjunta das comemorações dos 50 anos do 25 de abril. Depois de afastados da Comissão Municipal do 25 abril, os estudantes divulgam a agenda de atividades para a comemoração de uma data que marcou também a história desta casa. Apoio a secções culturais, parceria com a RTP e recriação da Taça de Portugal são as iniciativas destacadas.

Em entrevista, Renato Daniel revela que a Associação Académica sempre procurou dialogar com a Câmara Municipal de Coimbra (CMC) sobre o plano para as comemorações, mas não obteve nenhuma resposta. Face ao afastamento dos estudantes da Comissão Municipal do 25 abril, a 19 de dezembro, a DG/AAC mostrou publicamente a sua indignação através da publicação de um cartoon satírico e de uma carta aberta direcionados a José Manuel Silva, onde anunciou que, ainda que sem o apoio do município, traçaria “o seu próprio caminhos nas celebrações de abril”.

Apesar de frustrado com a tomada de posição da CMC, Renato Daniel tem esperança de que “o município possa reconhecer o papel da AAC na perpetuação dos valores de abril” e reconhece que deverá continuar a haver sinergias entre os dois atores culturais na realização de iniciativas que mobilizem os cidadãos de Coimbra. Esta é a principal bandeira do programa apresentado no dia 8 de janeiro pelos estudantes, que continua a receber propostas de atividades.

Entre as iniciativas anunciadas pela Associação Académica destaca-se a criação de um plano financeiro de apoio a secções culturais que apresentem candidaturas de projetos para as comemorações dos 50 anos do 25 de abril, em parceria com a UC. Além disso, Renato Daniel revelou a produção conjunta da série de ficção “Daqui Houve Resistência”, a ser transmitida pela RTP, e a recriação da Final da Taça de Portugal de 1969, “que tem registado avanços favoráveis”, adianta. Em parceria com a Secção de Fotografia da AAC, foram ainda apresentadas a exposição de fotografias da Crise Académica de 1969 e a exibição do documentário “Futebol de causas”, em colaboração com o Centro de Estudos Cinematográficos da AAC e o Teatro Académico Gil Vicente (TAGV).

Estiveram também presentes na conferência de imprensa Delfim Leão, vice-reitor da UC, a quem se juntaram representantes das demais estruturas culturais e científicas da UC, Jorge Castilho, presidente da Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra, e Maria Cristina Freitas, diretora do Centro de Documentação 25 de abril da UC (CD25A). A intervenção do vice-reitor com a pasta da cultura começou por deixar claro que a programação planeada pela Universidade é direcionada aos “atuais e antigos estudantes, aquilo que todos somos”.

Entre as atividades apresentadas destacam-se as exposições para o público escolar com livros proibidos durante o Estado Novo e outros documentos do CD25A, organizadas pela Biblioteca Geral da UC. A par disso, o TAGV anunciou, entre outras atividades, a realização do programa “O Teatro está com o povo, o povo está com o Teatro”, que integra uma exposição de discos em vinil sobre música de combate e reivindicação, a realização de assembleias populares sobre arte e poder e uma exposição sobre cartazes de protesto, do arquivo do CD25A, visto pela primeira vez.

To Top