Desporto

Empate custa sequência de vitórias aos estudantes

Francisca Costa

Falta de eficácia afasta equipa conimbricense da conquista dos três pontos. Treinador da Académica garante que “2024 será um ano de sucesso para o clube”. Texto e fotografias por Débora Borges, Francisca Costa e Jéssica Soares

Nesta manhã de sábado, deu-se o jogo da Liga 3 entre a Académica e o Sporting B no Estádio Cidade de Coimbra. Um jogo sob céu limpo permitiu o melhor desempenho dos jogadores em campo e atraiu mais de quatro mil espectadores, entre estudantes e adeptos, destacando-se assim, a mancha negra nas bancadas. Ao entrarem em campo foi pedido um minuto de silêncio em memória do jogador de 7 anos que faleceu no início desta semana. 

O empate, que não fez mover o marcador, levou a equipa da casa a perder a orgulhosa sequência de quatro vitórias. A primeira parte do jogo foi marcada pelo domínio do Sporting B. Aos oito minutos, Rafael Nel fez um remate perigoso, mas a bola acabou por falhar a baliza da Académica. O avançado sportinguista não desistiu, e, voltou a tentar a sua sorte poucos minutos depois, com um remate cruzado ao alvo.

Aos 17 minutos de jogo, Juan Perea da Académica colocou a bola dentro da baliza, mas o lance acabou invalidado devido à falta sobre Chico Lamba, da equipa adversária. De seguida, um momento de tensão surgiu no Cidade de Coimbra ao minuto 21 do jogo, com um remate forte de Tiago Ferreira à baliza da Académica. O guarda-redes da casa fez uma excelente intervenção, impedindo que a bola entrasse na sua baliza. Chico Lamba fez um cabeceamento em direção à baliza da Académica, ao minuto 22, que acabou por sair fora do alvo. De seguida, aos 26 minutos, Marco Cruz fez um remate potente, que se direcionou à lateral da baliza.

A equipa dos leões dominava a posse de bola, conseguindo por várias vezes entrar na grande área da equipa da casa. Aos 36 minutos, no entanto, o melhor marcador da Briosa, Juan Perea, consegue fazer o seu caminho até à pequena área, onde consegue fazer um remate à baliza, mas a bola é defendida pelo guarda-redes adversário, Diego Callai. Pouco tempo depois, com a assistência de Vitor Gabriel, que conduziu e transportou a bola, João Silva, um dos avançados dos capas-negras, conseguiu rematar em arco, mas ao lado da baliza. Deste modo, observou-se a aproximação da equipa dos estudantes face ao adversário, seguindo-se a recolha das equipas em direção aos balneários, assinalando-se o final da primeira parte do jogo.

A Académica entrou na segunda parte mais confiante, ameaçando a mudança do ‘placard’ ao minuto 48 com um remate de Vítor Gabriel. Pouco tempo depois, um passe não tão bem conseguido da defesa dos leões abriu o caminho da baliza a Lucas Henrique, que rematou por cima, falhando o golo. Aos 63 minutos de jogo, Perea fez um remate que saiu ao lado da baliza sportinguista. Logo de seguida, ao minuto 73, há um pontapé livre para a Académica, executado por David Teles em que o guarda-redes da equipa adversária interveio, efetuando uma boa defesa.

Os últimos minutos de jogo foram marcados pelas últimas tentativas das equipas de chegar ao golo. Aos 86 minutos, a equipa do Calhabé conquistou um livre, que resultou num remate perigoso de David Teles junto ao poste, que foi defendido pelo guarda-redes adversário. As equipas tiveram direito a quatro minutos de compensação e houve até ao fim uma constante luta pela posse de bola e tentativas de ataque de ambas as equipas, mas sem sucesso para nenhum dos clubes, com o empate a prevalecer.

Em conferência de imprensa, Filipe Çelikkaya, treinador da equipa do Sporting B, considerou o “resultado do jogo justo”, e salientou que a sua equipa teve “oportunidades claras para vencer a partida”. O técnico acredita que a sua “equipa fez um jogo maduro” e a nível “tático esteve muito bem”. Filipe Çelikkaya realçou ainda que é de bastante orgulho “jogadores de 19 anos estarem a jogar na Liga 3”, confessando estar “muito satisfeito pelo trabalho que fizeram”. O treinador da equipa sportinguista declarou ainda que a sua equipa, apesar dos aspetos positivos, não foi tão boa no último terço do campo.

Tiago Moutinho, treinador da Académica, por seu lado, dirigiu palavras de elogio à prestação da equipa adversária. Admitiu o equilíbrio entre as equipas no final da primeira parte e em relação ao desempenho das Capas Negras na segunda, o treinador referiu o trabalho mental e técnico durante o intervalo que estimulou a equipa. Referiu ainda que o resultado deste jogo o entristece, porque entram para ganhar, estão habituados a fazê-lo e tal não foi possível na partida de hoje. Terminou a sua presença na sala de imprensa por agradecer o apoio dos adeptos ao clube conimbricense e garantiu que “2024 será um ano de sucesso para o clube”.

Hugo Seco, capitão de equipa da Briosa, que conta já com 124 jogos pela sua equipa, reservou também algum do seu tempo às perguntas da imprensa. O jogador salientou o significado e a honra que é para ele poder representar a Académica. O capitão reforçou ainda as anteriores palavras do treinador, quando afirmou que “a equipa entra para todos os jogos com o intuito de ganhar”. No entanto, declarou que “o empate se aceita” reconhecendo que o jogo “não era fácil, era muito equilibrado”. Como último apelo, Hugo Seco realçou que “a única coisa que a Académica pede é que acreditem nesta equipa”.

O próximo jogo da temporada para a equipa de Coimbra, vai ser contra a equipa do Caldas, no dia 7 de janeiro, às 19h30.

Débora Borges
To Top