Ensino Superior

Carta aberta exige presença da AAC nas celebrações do 25 de abril

Arquivo

Ausência de jovens marca Comissão Municipal responsável pela organização. CMC recusa pedido de integração da AAC. Por Alexandra Guimarães

A Associação Académica de Coimbra (AAC) publicou hoje, 19 de dezembro, nas redes sociais, uma carta aberta ao presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), José Manuel Silva. Segundo o comunicado, o objetivo é “expressar desagrado” face à exclusão da AAC da Comissão Municipal responsável pela organização das celebrações dos 50 anos do 25 de abril em Coimbra.

Apesar de a Comissão ter sido apresentada a 11 de dezembro, o comunicado surge no seguimento da reunião do executivo municipal realizada a 18 de dezembro, na qual foi apresentada a proposta de integrar a AAC na organização. No entanto, esta foi recusada por José Manuel Silva, que assegurou que o órgão “vai continuar a funcionar assim”. O presidente da CMC explicou que “não há instituições representadas”, mas antes “um conjunto de pessoas notáveis”, por motivos de maior funcionalidade.

No documento publicado, a AAC realça a sua “relevância a nível cívico e político”, com destaque para a ação no decorrer da Revolução dos Cravos de 1974 e na construção da democracia portuguesa. Embora considere ser valorizada por esse trabalho a nível nacional, sente ter sido “marginalizada e esquecida pelo seu próprio município”. No comunicado, critica, ainda, a “ausência de convite à AAC ou a qualquer um dos seus dirigentes” e a “total ausência de jovens” na Comissão Municipal.

A carta aberta termina com um apelo à CMC para “perpetuar os valores de abril através da convocação dos jovens”. Nesse sentido, a AAC pede a José Manuel Silva que reconsidere a opção tomada e exige a sua “integração imediata” na Comissão. Garante também que, caso a CMC mantenha a sua decisão, vai fazer o seu “próprio caminho nas celebrações de abril”. Ao jornal A CABRA, o Município não quis prestar declarações adicionais.

To Top