Ensino Superior

Voto antecipado: eleições com pouca adesão

Luísa Malva

Primeira data facilita exercício eleitoral a todos os associados. “Mais um dia pode diminuir abstenção”, afirma estudante. Por Mafalda Adão e Luísa Malva

A eleição por voto antecipado para a Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC) e para a Mesa da Assembleia Magna da AAC (MAM/AAC) decorre esta segunda-feira, dia 13 de novembro. As mesas de voto encontram-se na Sala de Estudo da AAC e estão abertas a todos os estudantes até às 21h.

O presidente da Comissão Eleitoral, Gonçalo Pardal, salienta a importância do voto antecipado para a comunidade académica. Realça a oportunidade para os estudantes exerceram o seu direito, caso não possam comparecer no dia 16 de novembro, quinta-feira. “Se nessa data tiverem uma frequência ou uma atividade desportiva fora de casa, podem vir hoje ao edifício da AAC e não têm que se preocupar, porque o voto fica oficializado”, explica. Para participar, é apenas necessário um cartão de identificação com fotografia.

Desde as 10h até às 17h, dirigiram-se às urnas 125 dos 25557 associados. No dia de voto antecipado “não há grande adesão”, reitera o presidente da Comissão Eleitoral. A baixa participação pode ser explicada pelo facto de só haver urnas na AAC, ao contrário de quinta-feira, em que vai haver diversos locais de votação distribuídos por todas as faculdades. “Os estudantes mais acomodados preferem votar no edifício da sua faculdade”, clarifica Gonçalo Pardal.

Para o presidente, as expectativas de adesão para dia 16 podem igualar os resultados do ano passado e potencialmente ultrapassá-los. Gonçalo Pardal considera que a abstenção vai continuar elevada este ano, como é “tradição em Portugal”. Acrescenta que “se os resultados superarem os do ano passado é porque as listas divulgaram e trabalharam melhor”. A divulgação do voto antecipado é feita pelas listas candidatas à presidência da DG/AAC e os responsáveis têm a função de chegar aos estudantes e informá-los do seu direito, explica.

Para Filipe Luís, estudante de Direito, as votações antecipadas possibilitaram a sua adesão nestas eleições. O aluno votou antecipadamente, porque não tem possibilidade de comparecer na data de votação geral. “Esta oportunidade é importante, já que mais um dia pode diminuir a abstenção”, sublinha. Matilde Lopes, estudante do curso de História da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, considera “extremamente importante” participar nas eleições. “É a forma de mostrar a vontade dos associados e de ouvir a sua voz sobre quem querem ver na DG/AAC e na MAM/AAC”, remata.

Após as 21h

Até ao momento de encerramento das eleições antecipadas, as urnas registaram votos de 250 estudantes dos 25557 possíveis eleitores. Face ao ano passado, em que votaram 274 associados, regista-se, portanto, um ligeiro decréscimo de adesão.

To Top