Ensino Superior

Trocar é reutilizar: GE/AAC promove “Mercado de Trocas” de bens materiais

Miguel Pombo

Iniciativa deixa de lado moeda e fomenta economia circular. Presidente do GE/AAC destaca que “existem alternativas à compra de coisas novas”. Por Miguel Pombo e Inês Reis

No dia 29 de novembro, entre as 15 e as 20 horas, decorreu o “Mercado de Trocas” promovido pelo Grupo Ecológico da Associação Académica de Coimbra (GE/AAC). A campanha, que teve lugar no átrio das químicas entre o Departamento de Física e o Departamento de Química da Universidade de Coimbra (UC), consiste na troca direta de objetos, roupa e livros.

A proposta do evento passa pela consciencialização para o desenvolvimento sustentável e a reutilização de peças, de forma a evitar o uso de recursos naturais na produção de novos artigos. Para a presidente do GE/AAC, Jéssica Sá, “a ideia é criativa e vai ter cada vez mais adesão”. Quanto ao público-alvo, a dirigente esclarece que são os estudantes da UC e associados da AAC.

Em adesão a uma economia circular, não é utilizada a moeda na troca de bens materiais. É apenas necessário ir ao local com qualquer objeto e escolher outro que seja de maior interesse. Para Vasco Viegas, mestrando de Ensino, representa uma “boa oportunidade para as pessoas se livrarem do que já não precisam e levarem algo que apreciem mais”. Continuou por elogiar o facto de ser possível trocar objetos de diferentes categorias, “o que oferece muita flexibilidade”.

A presidente do GE/AAC apela à procura por caminhos de sustentabilidade e às práticas de reutilização: “as pessoas devem perceber que existem alternativas à compra de coisas novas”. Destacou ainda que, ao seu ver, “não há nada mais divertido do que encontrar algo diferente, que seria impossível encontrar em lojas de venda em primeira mão”. 

O evento tem parceria com a associação sem fins lucrativos Mercado de Trocas e a Câmara Municipal de Coimbra. Conta, ainda, com o apoio do SOS Estudante, do Núcleo de Estudantes de Psicologia, Ciências da Educação e Serviço Social da AAC e da Secção de Gastronomia da AAC. A segunda edição do evento recebeu maior adesão em relação ao ano anterior e, para Jéssica Sá, esta tende a crescer nos eventos futuros.

To Top