Cultura

Coimbra Gospel Choir vem humanizar a saúde

Cedida

“Concerto-debate” combina arte com saúde. Organização quer sensibilizar para cuidados nas relações médico-paciente. Por Matilde Mendes

“Humanizar a Saúde em Coimbra” nasceu em abril de 2023 e tem como objetivo trazer um lado humano aos cuidados médicos em diversas instituições da cidade. A mais recente atividade da projeto está integrada no ciclo “Humanizar com arte”, numa edição híbrida que correlaciona a espiritualidade com a saúde. O “Concerto-Debate” terá lugar no dia 4 de dezembro, às 21h, no Seminário Maior de Coimbra, e vai contar com a presença do Coimbra Gospel Choir.

João Pedroso de Lima, coordenador do projeto e professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), admite existir “um défice de humanização nos cuidados de saúde da cidade”. Segundo um inquérito realizado no início deste projeto, 98% dos abordados atestam uma deficiência no âmbito interpessoal nas instituições do distrito. O coordenador salienta ainda que “as pessoas têm todo o direito de ser tratadas com compaixão”, algo que “muitas vezes não é verificado”.

O docente considera importante haver um movimento cívico que “traga este assunto para debate público, de forma a sensibilizar para este problema”. Em nota de imprensa, partilham que foi com este sentimento que diversas personalidades conimbricenses dinamizaram os eventos. Com o objetivo de mitigar as adversidades apontadas, a organização quer identificar problemas humanitários pré-existentes, nomeadamente “episódios em que os pacientes tenham sido mal tratados por parte das instituições”, explica o médico.

“O atendimento empático faz parte daquilo que são as exigências de um profissional de saúde”, sublinha o professor da FMUC. João Pedroso de Lima acredita que o exercício da medicina deveria basear-se numa “visão holística mais global e não só na preocupação com os aspetos físicos”. Neste âmbito, já desenvolveu um projeto intitulado “Humanizar o hospital”, com o objetivo de sensibilizar os profissionais de saúde para a empatia, colocando “um maior foco nas pessoas”, explica. 

A escolha do tema para esta iniciativa deve-se ao facto de “a humanização ser o fator fundamental para uma maior qualidade na saúde”, reitera o docente. Relembra também que “estes aspetos dizem respeito a todos nós”, apelando ao envolvimento da comunidade conimbricense. No futuro, o grupo vai continuar a dinamizar atividades, sendo a próxima edição em fevereiro, com data ainda a definir.

To Top