Desporto

Atleta da académica salta para a história ao vencer a prata no mundial de Trampolins

Cedida por Rita Abrantes

Rita Abrantes representa Academia com “enorme orgulho” ao sagrar-se vice-campeã. Seleção portuguesa reforça posição no cenário desportivo mundial após prestação. Por Camila Luís e Matilde Mendes

Entre os dias 9 e 19 de novembro realizou-se a 37.ª edição do Campeonato Mundial de Trampolins, em Birmingham, no Reino Unido. Nesta competição estiveram presentes vários atletas da Secção de Ginástica da Associação Académica de Coimbra (SGinástica/AAC), entre os quais estão Rita Abrantes, João Saraiva e Diogo Fernandes. A equipa portuguesa regressou a casa com uma medalha de prata na categoria de Duplo Minitrampolim feminina, atribuída ao quarteto constituído por Rita Abrantes, Alexandra Garcia, Diana Gago e Sara Guido. Além disso, a seleção nacional conquistou também o título de vice-campeã na competição por Equipas de ‘All-Around’, reforçando a sua posição no cenário desportivo mundial.

Ao entrevistar a atleta da Casa, esta revela pertencer à SGinástica/AAC há 17 anos e que preza “como uma segunda família” da qual é representante com “enorme orgulho”. Contudo, a estudante reconhece que “há aspetos que podem ser melhorados”, ao mencionar que existem modalidades “como o futebol e o rugby” que recebem mais reconhecimento por parte da Academia.

Quanto à representação de Portugal na competição, a jovem evidencia que é uma “honra”, visto que são apenas selecionados “os melhores”. Como todas as provas que apresentam dificuldades, a desportista realça que a maior que enfrentou foi manter a calma a fim de executar as suas séries “na perfeição”. Apesar destas adversidades, Rita conquistou o segundo lugar no pódio, o que contribuiu para o destaque da ginástica na Academia.

Neste campeonato o sistema de apuramento contou com várias fases, divididas em dez provas, nas quais só os quatro melhores ginastas de cada modalidade passaram. Os selecionados avançaram para um processo de treinamento que inclui “muita preparação física” e a introdução de séries novas com um maior grau de dificuldade. Com o aproximar dos Jogos Olímpicos de Paris 2024, os campeonatos mundiais de ginástica vão ficar interrompidos, pelo que a ginasta encara este período como uma oportunidade “para melhorar” a sua prestação. A universitária encerra ao informar que o seu principal foco neste momento é a preparação para os ‘The World Games 2025’, que vão ocorrer em Chengdu, na China.

To Top