Desporto

Cerco da Académica ao Amora termina em empate

Primeiros 45 minutos foram divididos e Briosa teve dificuldades em afirmar-se no jogo. Com Amora reduzido a dez na segunda parte, conjunto da casa esteve perto de conseguir três pontos. Por Daniel Oliveira

A Associação Académica de Coimbra / Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF) cumpriu este domingo o seu segundo jogo da época em casa, frente ao Amora, a contar para a terceira jornada da Liga 3. A partida terminou empatada com um golo para os dois lados, marcados por Miguel Montenegro (Amora) e Juan Perea (Académica).

Com começo às 18h01 no estádio municipal Sérgio Conceição, a primeira parte não teve muitas oportunidades para ambos os lados, com um jogo morno e dividido. Apesar de a equipa da casa ter tentado assumir o jogo no início, foram notórias as dificuldades na construção a partir da sua área.

As melhores oportunidades dos estudantes, que se apresentaram no clássico 4-4-2, apareceram ao cair dos primeiros 45 minutos quando mudaram para um 4-2-3-1, com João Silva a passar da ala direita para o centro esquerdo do ataque. A equipa visitante também teve algumas ocasiões durante a primeira metade da partida, com destaque para as duas bolas paradas de João Figueiredo a testar o guarda-redes Carlos Alves e algumas transições rápidas pelo lado esquerdo do ataque.

Já para a segunda parte, a Académica entrou com uma nova disposição tática. Toki Hirosawa entrou para o lugar de Hugo Sêco, com a formação da casa a apresentar-se num 3-4-3. O tridente defensivo constituído por Diogo Amaro, Miguel Rodrigues e Stitch permitiu a projeção na ala direita de Francisco Ferreira, que foi um dos motores do ataque da Briosa. Assim, a equipa conseguiu ser mais agressiva com a bola e teve ao minuto 55 uma oportunidade pelo remate de livre cobrado por João Silva.

Se os estudantes já estavam a controlar o jogo no início do segundo tempo, isto viria a acentuar-se com a expulsão de Filipe Maio (Amora), que viu o segundo amarelo na partida após uma entrada sobre Francisco Ferreira. Com isto, a Briosa passou a ter domínio total do jogo e, aos minutos 61 e 63, João Victor e Vasco Gomes protagonizaram duas oportunidades de perigo para a baliza adversária, com dois remates a sair ligeiramente ao lado.

Já ao minuto 72, a Académica refrescou o seu ataque com as entradas de Lucas Henrique, David Teles e Fausto para os lugares de João Silva, Vasco Gomes e João Victor. Três minutos depois, o cruzamento de Stitch levou perigo à área do Amora, com o guarda redes Cléber Santana a travar a finalização de Juan Perea. O conjunto visitante voltou a ser ameaçado dois minutos depois, com o cabeceamento do lateral esquerdo da Briosa a sair ao lado após o cruzamento à direita de Francisco Ferreira.

Apesar da superioridade e das várias oportunidades da equipa da casa, foi o Amora que inaugurou o marcador ao minuto 80, quando Miguel Montenegro rematou rasteiro de fora da área e bateu Carlos Alves. A vantagem dos visitantes durou apenas dois minutos, porque, ao minuto 82, Juan Perea cabeceou para o fundo da baliza adversária após o cruzamento à direita de Lucas Henrique.

A partir daí, a Briosa foi à procura do golo da vitória, com destaque para as iniciativas de Toki Hirosawa no lado esquerdo do ataque. Ao segundo minuto de compensação, o extremo nipónico recuperou a bola no meio campo adversário e serviu Juan Perea, que rematou à malha lateral no lado esquerdo da área. Já no último minuto de compensação, a equipa da casa cheirou o golo: Fausto cruzou de canto e Diogo Amaro rematou de primeira, mas a grande defesa de Cléber Santana valeu um ponto ao Amora.

Em conferência de imprensa, o treinador da AAC/OAF, Tiago Moutinho, admitiu que, no início da partida, faltou capacidade de pressão e de ganhar bolas ao seu conjunto, mas que na segunda parte conseguiu corrigir esses problemas. Acrescenta que, além das muitas oportunidades de golo, “faltou sorte em algumas alturas”, e que a equipa merecia ter saído desta disputa com os três pontos. O técnico também referiu o facto de a Briosa estar entre os quatro primeiros classificados da série B, que “é um dos objetivos iniciais”, mas que o conjunto quer e tem de trabalhar mais.

Já o treinador do Amora, Pedro Duarte, elogiou a calma e a paciência da sua equipa na primeira parte e explicou que, face às adversidades do segundo tempo, os visitantes tiveram de se “ajustar e trabalhar de outra forma”. Pedro Duarte apontou também que era importante ter ganho esta partida e que quer conquistar os três pontos no próximo jogo.

Depois do primeiro empate em casa frente ao 1º Dezembro e da vitória no terreno do Alverca por 2-0, a Académica soma o seu quinto ponto na série B da Liga 3, o que a coloca em quarto lugar à terceira jornada, com a mesma pontuação do Atlético CP e a dois pontos do líder, o Sporting Clube da Covilhã. O próximo confronto da Briosa é no próximo domingo, dia 27 de agosto, frente ao Oliveira do Hospital, no estádio municipal de Tábua.

To Top