Cultura

“Primaveras Estudantis: da crise de 1962 ao 25 de Abril” chega a Coimbra

Arquivo da Secção Fotográfica da AAC

Exibição no Convento de São Francisco sinaliza contribuição dos estudantes na formação da democracia. Presidente da DG/AAC realça importância da iniciativa. Por Daniela Fazendeiro

“Primaveras Estudantis: da crise de 1962 ao 25 de Abril” é a exposição que retrata o papel do movimento estudantil de oposição à ditadura do Estado Novo na construção da democracia portuguesa. A mostra vai poder ser visitada no Convento de São Francisco, a partir do dia 10 de dezembro às 18 horas até ao dia 25 de abril de 2023.

Os visitantes da exposição coordenada por Álvaro Garrido, professor de História na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, vão ter acesso a documentos recolhidos de arquivos pessoais. Além disso, foi criado um mural em homenagem aos estudantes presos e expulsos de Portugal durante a ditadura.

O presidente da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra (DG/AAC), João Caseiro, considera que a exposição tem a função de “assinalar a história para que esta não caia em esquecimento”. O estudante acrescenta o papel de elucidação junto das gerações mais novas quanto aos movimentos estudantis e às crises académicas da década de 1960.

A importância de iniciativas desta natureza em Coimbra foi um dos pontos destacados por João Caseiro. “Faz todo o sentido assinalar a maior conquista da democracia moderna em Portugal na cidade que foi um berço da revolução”, reitera.

O presidente da DG/AAC acredita que a exposição simboliza o reconhecimento da importância que a academia e os seus estudantes tiveram no processo revolucionário entre 1962 e 1974. Declara ainda que é o “salientar da Académica enquanto casa democrática que nunca se conformou com o status quo da altura”.

João Caseiro afirma que a AAC vai realizar iniciativas de divulgação da exposição junto das camadas mais jovens e da comunidade estudantil. Visitas em conjunto com os núcleos de estudantes de cada faculdade é uma possibilidade apontada pelo atual presidente da DG/AAC.

O estudante menciona, também, que a presença desta exposição em Coimbra foi possibilitada através do trabalho conjunto entre a AAC, a Câmara Municipal de Coimbra e o Convento de São Francisco. Por fim, deixa o convite a todos para visitarem a exposição e, assim, conhecerem melhor a história dos estudantes de Coimbra.

To Top