Ensino Superior

BGUC vai receber colóquio “Bibliotecas Icónicas da História da Humanidade”

D.R.

Finalidade do evento é dar a conhecer experiência matricial das instituições. Sessão de encerramento vai contar com “um dos maiores bibliófilos do mundo”, afirma diretor da Biblioteca Geral. Por Larissa Britto e Raquel Lucas

O auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra (UC) vai receber, nos dias 27 e 28 de outubro, o colóquio “Bibliotecas Icónicas da História da Humanidade”, no âmbito da atividade cultural da Biblioteca Geral da UC (BGUC). O evento vai contar com a participação das bibliotecas de Alexandria (Egito), do mosteiro de Saint-Gall (Suiça), da Universidade de Salamanca (Espanha), do Trinity College (Irlanda) e, por fim, do Real Gabinete Português de Leitura (Brasil). Todas as instituições vão ser representadas pelos seus atuais dirigentes. 

De acordo com o diretor da BGUC, João Gouveia Monteiro, a principal finalidade do colóquio é “promover um intercâmbio regular entre as instituições e os seus membros”, assim como dar a conhecer a sua “experiência matricial” à restante população. “Esta é a concretização de um sonho, a iniciativa principal da BGUC em 2022”, aponta o dirigente. Tal deve-se à “cobertura geral que o evento faz dos três aspetos pilares da instituição”, que agrega a promoção do livro e da leitura, a biblioteconomia e o especial foco no “aspeto patrimonial” que todas carregam. Para o diretor, as bibliotecas em questão constituem-se como “espaços maravilhosos”, alguns deles classificados pela UNESCO como Património Mundial. 

João Gouveia Monteiro descreve o colóquio como “um encontro entre seis grandes bibliotecas da história da humanidade”, selecionadas devido às suas “origens em épocas distintas, desde o século III a.C até ao século XIX”. A diversidade de tipologias destas instituições constitui também um dos motivos para o seu envolvimento no evento, pensado há mais de 3 anos pela direção da BGUC.

De uma forma geral, a iniciativa vai contar com a participação dos oradores Hala Omran, Cornel Dora, Gilda Santos, Margarita Becedas-González e Susan Bioletti. A sua colaboração vai dar-se através de conferências de 30 minutos, seguidas de um debate, com o objetivo de dar a conhecer a função cultural e social de cada biblioteca. A inauguração do evento vai ser realizada pelo diretor adjunto da BGUC, Maia do Amaral, e o seu encerramento vai ser marcado pela presença de Alberto Manguel, descrito por João Gouveia Monteiro como “um dos maiores bibliófilos do mundo”. 

Maia do Amaral explica que a sessão de abertura vai debruçar-se sobre “as sete moradas do conhecimento da BGUC”, em referência aos edifícios sucessivos que suportaram a história da instituição até aos dias que correm. O diretor adjunto expõe ainda que as bibliotecas envolvidas possuem laços com a BGUC por “serem espaços icónicos e possuírem um património muito importante, tanto a nível documental, como de construção”. Também descreve a ocasião como “propícia para estreitar laços de cooperação e aprender novas experiências com os participantes”. 

O evento vai ser financiado pela BGUC e suportado pela Liga dos Amigos da instituição. Não possui qualquer tipo de custo, pelo que, para se poder participar, apenas é necessária a inscrição, realizada através do site da biblioteca. De resto, vai contar “apenas com a ajuda e o entusiasmo das pessoas que acompanham as iniciativas da BGUC de uma forma regular”, comenta João Gouveia Monteiro.

Para o dirigente da instituição, o evento é algo que lhe traz uma “profunda responsabilidade”. No entanto, demonstra ter “as melhores expetativas”, na medida em que a iniciativa “possui uma dimensão impactante, não só para a UC, mas para a cidade, e até mesmo para a região”, conclui.

Fotografias cedidas por Isabel Campante

To Top